sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Dilemas...

... não sei por onde começar. Talvez faça pela primeira vez sentido começar pelo fim.

Como reagir ao fim de uma relação que nunca fui crente que fosse começar?

Vou começar , agora sim, pelo inicio.

Para mim, desde o inicio vi um fim. Pela forma como começou, pela forma como continuou. Deixei aqui registos da nossa "relação" que desde que a mesma acabou ainda não tive coragem de reler.

Dói cada dia que passa. Porque pela primeira vez senti que o fim implicaria distância, quebra de rotinas, o fim das minhas preocupações, das minhas preocupações que foram a minha prioridade durante dois anos.

Dói , saber que algo que eu julgaria que nunca fosse começar  tivesse terminado.

E como é possível doer tanto?

Acho que por nunca ter sido crente me deixei levar. Durante estes dois anos tudo se tornou natural  e dessa naturalidade surgiu o que nunca tinha até ao momento sabido criar.

Foi tudo tão bom para teres tornado um fim tão mau e tão contra tudo o que fomos criando.

Acontece.

Por vezes lembro-me. Lembro-me das nossas férias. Lembro-me dos Domingos.  Lembro-me das sessões de cinema. Das vezes em que cozinhamos juntos... ou das vezes em que me "ajudaste" a cozinhar.

Das conchinhas no sofá. Do Simba vir para o nosso meio. De ir dar água ao Simba. Dos banhos. Do acidente. Dos abraços e das lágrimas. Do teu cheiro.

Lembro-me da quantidade de vezes em que conversamos do quanto isto não fazia sentido. 

Lembro-me do ano novo. Dos teus pais nos virem desejar "Boa Noite" nas noites em que fiquei a dormir em tua casa. Dos passeios e dos jantares.

Recordo-me das pazes que fizemos à beira da casa de chá.

Lembro-me da primeira vez que senti de que realmente gostavas de mim.

Todos os dias esperei pelo nosso fim. De alguma forma sempre soube que tínhamos uma data. Um prazo de validade. 

Às vezes tenho vontade de te ligar, de berrar contigo, de te insultar. Do mais intimo e do mais fundo do meu ser apetece-me só e apenas berrar contigo. 

Outras vezes apetece-me apenas dizer-te "Vem ter comigo." E tenho tanta certeza que nos 5 minutos seguintes tu ias arranjar forma de chegar a mim. Mesmo sem saberes se te ia abraçar, chorar ou berrar contigo.

Gravo em mim o facto de na ultima mensagem que me mandaste, a qual eu não tive coragem de responder, me teres dito:"Queria dar-te um abraço mas devo ser a ultima pessoa que queres ver à frente neste momento."

Acho que nunca duas afirmações tão controversas fizeram tanto sentido. Eras a ultima pessoa que queria ver... mas só o teu abraço me dava o conforto que precisava naquele momento.

Tenho saudades tuas.

Mesmo que não o mereças.

Mesmo que as lágrimas me estejam a cair.

Mesmo que esteja a perder forças para lutar contra mim mesma.

Mesmo que sejas a ultima pessoa que queira ver a frente.

 Sinto que só o teu abraço me trará de volta.

Se em tempos me fizeste quebrar muitas barreiras, não tens noção das que me fizeste voltar a construir.




  

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Sentir-me perdida...

... e perceber que é assim que tenho que estar/sentir. 
Que por vezes temos que não saber o que fazer.
Que por vezes temos que sentir esta incerteza. Que nos faz bem não ter sentido nem rumo. Que nos faz bem não saber para onde vamos.

"Niente accade per caso"

Vou acreditar neste "meu" lema. Sempre.

#attraversiamo


terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Meta(s) 2018...

...aceitar que alguém gosta de mim.

-Não ter medo de arriscar no que toca a sentimentos.

-Não ter medo de perder.

-Agarrar com unhas e dentes a oportunidade profissional que vou ter. (Como só tu sabes fazer Sun!)

-Sentir-me em paz.

Ah! E não menos importante... Acreditar na magia dos novos inícios !!!!

(:

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

"Sabes que estás a perder ...

...no jogo que tu criaste.
Sabes que foram essas as palavras que me disseste quando a terapia foi a mim e não a ti e agora tenho que as aplicar para ti.
Lembraste do que é que o Vagabundo te disse? Vive. Deixa fluir. Deixa acontecer. Só tens que ficar de consciência tranquila de que não foste tu a culpada de alguma coisa não ter corrido bem.
Porque tens tanto medo que ele falhe? Porque e que estas sempre a espera que ele não te surpreenda?Porque é que andas sempre à procura do que pode nunca acontecer?
Vive, respira! Não tenhas medo.
Vais acabar por perder no teu próprio jogo e ele nem sabia que estava a jogar."

Foram as palavras do meu "terapeuta".

A verdade é que não sei confiar. Desculpa Batman.

Eu sei que tu não sonhas os filmes que eu faço e a quantidade de vezes que me apetece explodir com tudo. Devagarinho, eu vou tentar. 


"Prometo-ME ! "

domingo, 10 de dezembro de 2017

Às vezes...

... é preciso alguém que nos aqueça  o coração.
É preciso alguém que nos faça sentir.
Sentir que independentemente do que acontecer essa pessoa vai estar ao nosso lado sem nunca olhar para trás. Sem duvidar. Sem hesitar. 
Na maioria das vezes ... tu não és essa pessoa.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

De ontem, antes da meia noite...

...Fomos até ao meu sitio preferido no Porto. Um sitio efetivamente muito especifico, não só pelo local e por mais "estranho" que pareça, a primeira vez que fomos sair só os dois levei-o lá.

É estranho porque sempre foi o meu sitio secreto, onde me sinto em paz. Não é um metro ou dois para um lado nem para o outro. Não é para a frente nem para trás. É naquele exato ponto. Nem o Vagabundo (O melhor amigo de sempre da Sun!) levei lá. 

Caminhamos até ao sitio em questão e lá nos sentamos.  Como na primeira vez.

Sun-" Podes começar...."

Bat- "Assim de repente? Eu não estou habituado a isto!"

Sun-"Sim, podes começar...e eu não te vou interromper."

Bat-"No Domingo passado, quando saíste de minha casa, arrependi-me logo de tudo o que te tinha dito. 
Na verdade não tinha noção do que significas para mim.
Ontem quando estávamos dentro do carro em frente ao mar, e tu estavas deitada assim...  eu juro, eu não queria mais nada neste Mundo. Basta tu estares ali para eu me sentir seguro, para eu me sentir bem, como nada nem ninguém me faz sentir. E eu já não sentia isto há muito tempo... se é que já senti com alguém ."

Podia continuar o resto da conversa. Mas acho que se resume a isto.  Não estava a espera. Esperava tudo menos que ele fosse quebrar a minha frente. Acho que pela primeira vez não estava mesmo a espera do que estava do outro lado. Pela primeira vez fui efetivamente surpreendida.

Estas fotos foram tiradas na primeira vez que fomos sair os dois, no tal "Spot" (:

Engraçado, reparei agora que tinha as unhas da mesma cor que tenho agora e lembrei-me que estava a usar o mesmo perfume.








segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Sobre o jantar de ontem...

Na verdade o jantar foi um acréscimo.
Tinha ficado pendente uma ida ao cinema para ir ver um filme especifico e decidimos que antes iamos também ao nosso restaurante preferido.
Para mim foi combinado com a intenção de ser uma despedida.

Ele veio-me buscar . Tudo muito pacifico.
Fomos jantar e foi como se não tivéssemos tido uma relação de um ano e tivéssemos acabado no Domingo passado. Uma grande cumplicidade, como sempre, rir, falar, discutir e brincar sobre quem tem  melhor gosto.

Quando acabamos de jantar ainda faltava uma hora para o filme começar.

Batman: "Vamos ficar um bocadinho no carro em frente ao mar? Vamos até ao parque da Casa de chá?"

Fomos... e por força da natureza e pela cumplicidade que naturalmente existe ele começou a  fazer-me festinhas no cabelo . Deitou o banco dele para trás e eu pousei a minha cabeça  no tronco dele. Tudo estava bem até que começa a dar  a musica na dos coldplay "Fix You" em que me começam a escorrer lágrimas e ele me agarra com toda a força do Mundo.

Batman-"Queres falar?"

Sun-"Não, vamos para o cinema, já está a ficar em cima da hora."

Estacionamos o carro no shopping , saímos do carro  e ele veio para o meu lado. Pôs as mãos nos meus ombros. Deu-me um beijinho na testa, outro no nariz e quando estava a descer virei a cara.

Lamento, mas não fazia sentido.

Fomos ver o filme,  passamos o filme de mãos dadas.

Domingo à tarde costuma ser  o momento da semana em que passamos efetivamente mais tempo juntos.

Sun-" Já tens planos para amanhã?"

Batman-"Quero lavar o carro... vens para minha casa?"

Sun-" Não, vamos passear um bocadinho. Acho que temos algumas coisas para falar"

E o dia de hoje? Fica para registar amanhã...






sábado, 25 de novembro de 2017

Logo vamos jantar...

... ao nosso restaurante preferido.

Acho que será uma espécie de despedida oficial.

Um "agora é de vez".



"Siempre me quedará
La voz suave del mar
Volver a respirar
La lluvia que caerá
Sobre este cuerpo y mojará
La flor que crece en mi
Y volver a reír
Y cada día un instante volver a pensar en ti"